Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

Poesia à Sexta dedicada a Sophia de Mello Breyner Andresen

Cultura
Poesia sexta 2019 cartaz 1 1024 800
29 Maio 2019

Sophia de Mello Breyner Andresen – uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX e a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa, o Prémio Camões, em 1999 – será a personalidade evocada na próxima edição de Poesia à Sexta – projeto dinamizado pelo Município de Ponte de Lima para promoção daquele género literário.

A sessão terá lugar no dia 31 de maio de 2019 e será orientada por Elsa Ligeiro, produtora de atividades culturais da Alma Azul.

Como habitualmente, o Poesia à Sexta tem início marcado para as 21h30, no Auditório da Biblioteca Municipal de Ponte de Lima e traduzir-se-á num tributo e evocação a uma personalidade única, de uma vida intensa e de uma obra excecional, no ano em que se assinala o seu centenário de nascimento.

Compareça e celebre o melhor da poesia em Língua Portuguesa.

Breve biografia da dinamizadora

Elsa Ligeiro nasceu em 1962 em Alcains, concelho de Castelo Branco. Foi jornalista no Jornal do Fundão, que também é editora, onde começou a tomar contacto e a apaixonar-se pela feitura do livro.

Decidiu então investir o seu tempo na cultura, na poesia, e fundou em Coimbra a livraria e editora A Mar Arte em 1993 que se dedicava ao lançamento de novos poetas, mas tinha também uma componente de promoção cultural. Publicou, no total, 87 obras, na sua maioria de poesia, entre as quais os dois primeiros livros de Valter Hugo Mãe. O projeto foi suspenso em 1999, por falta de rentabilidade, porque infelizmente a poesia não vende o suficiente para ser rentável.
Em outubro de 1999, fundou a Alma Azul que, além de editora, é produtora de atividades culturais, com o objetivo de lançar novos livros para o mercado, mas também promover a cultura.

Dentro da sua atividade cultural, a Alma Azul faz animação em bibliotecas municipais e outros locais, promovendo a poesia portuguesa de autores como Álvaro de Campos, Mário Sá Carneiro, Al Berto, Eugénio de Andrade ou Sophia Mello Breyner.

Falar de Elsa Ligeiro é sinónimo de falar de Alma Azul, porque, mais do que profissão, é a concretização do seu sonho de vida.