Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

visitar

Luca Argel + João Pais Filipe | Um Ao Molhe

Cultura
Uam banner 1 1024 2500
16 Mar
Adicionar a calendário 2019-03-16 09:41:00 2019-03-16 09:41:00 Europe/Lisbon Luca Argel + João Pais Filipe | Um Ao Molhe Teatro Diogo Bernardes

A 16 de março, às 22h00, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, recebe mais dois concertos do Um Ao Molhe: Luca Argel e João Pais Filipe.

 
LUCA ARGEL

É através da Música Popular Brasileira que Luca Argel encontra o seu motor de criação, recontando fábulas por entre um imprudente dedilhar de cordas, seja no violão ou na guitarra. A viver no Porto desde 2012, Luca Argel escreve para mais linhas que aquelas que lhe dão, dedicando-se também à poesia e a um Samba Sem Fronteiras, banda da qual é vocalista.
Links:
https://www.youtube.com/watch?v=ENsXTH6lY-c
https://www.youtube.com/watch?v=8nTgkIaADgk
https://lucaargel.com
https://lucaargel.bandcamp.com
https://www.facebook.com/pg/lucargel

 
JOÃO PAIS FILIPE

João Pais Filipe traz-nos um ethno-techno, uma miríade de estilos e influências que se combinam para dar origem a uma linguagem muito própria, carregada de timbres e cores únicas que o próprio constrói e assente em poli-ritmos aparentemente impossíveis.
Links:
https://loversandlollypops.bandcamp.com/album/jo-o-pais-filipe
https://www.youtube.com/watch?v=VRXiEr978eI
https://jazz.pt/ponto-escuta/2018/10/02/joao-pais-filipe-joao-pais-filipe-lovers-lollypops

 
UM AO MOLHE

“Começou com uma conversa de café. Eu e o Pestana apercebemo-nos que tínhamos a mesma ideia: pegar noutros projectos a solo como nós, pô-los no mesmo carro e fazer disso um festival. Assim combatíamos a solidão da estrada sem deixarmos de estar sós em palco.”
Manuel Molarinho – co-fundador do festival

O que acontece quando se consegue juntar um (ou 2) carro(s) e alguns dos melhores músicos nacionais com projectos a solo?
E o que muda quando se continua a fazê-lo durante 5 anos?
Quantos são 5 anos em anos de Cubo?
Na verdade muito mudou mas muito continua igual. O UM AO MOLHE volta deixar tudo para trás e a fazer-se à estrada e O Cubo (mascote do festival) leva à boleia alguns dos mais originais músicos solitários no Sapo e na Kátia (as acarinhadas viaturas oficiais). O objectivo principal é, como sempre foi, promover uma amostra do que de melhor se tem feito ao nível de bandas de um só em Portugal e criar um circuito para o crescente número de músicos emergentes.
Mas 5 anos de Cubo são muitos anos e O Cubo está hoje mais maduro e precisa de sentir um propósito maior.
O Cubo hoje quer fazer menos mas melhor.
O Cubo quer estar rodeado de amigos.
O Cubo quer ser um festival com princípios.

Chegamos a 2019 como responsáveis pela organização e curadoria de 550 concertos em 166 datas em 3 países e 70 localidades diferentes.
Demos palco a 108 músicos solitários e contámos com mais de 20.000 pessoas de fluxo de público, sendo que mais pessoas ainda ficaram a conhecer o festival e os músicos através do forte entorno mediático que se deu nos meios de comunicação e redes sociais.
Os números deixam-nos particularmente satisfeitos sobretudo tendo em conta que somos um festival de Inverno, com uma forte aposta em nomes emergentes e que percorre sobretudo salas com pequenas dimensões que nos apresentam sempre públicos muito heterogéneos.

Se há cinco anos atrás um circuito sólido de projectos a solo em Portugal era uma miragem, hoje orgulhamo-nos de cada vez mais as salas darem os seus palcos aos músicos solitários.
No entanto, a missão do UM AO MOLHE não fica apenas por este ponto. Afirmamo-nos como um festival de princípios. Conciliamos a divulgação e circulação musical com a dimensão ética da criação, da produção cultural, da formação de públicos e do reconhecimento do trabalho dos artistas e dinamizadores culturais.

Horário:

22h00

Local:
Teatro Diogo Bernardes
Informação adicional:

Os bilhetes (4,00€) serão disponibilizados a partir das 9h00 do próximo dia 19 de fevereiro (terça-feira). Desconto de 50% (2,00€) para quem apresentar o comprovativo/bilhete do concerto do Um Ao Molhe realizado no MAR – Movimento Artístico de Refoios, a realizar no dia anterior, 15 de março de 2019.

O número máximo de entradas a adquirir será de 4 bilhetes por pessoa, apenas no caso de existirem filas para a procura dos mesmos, podendo ir até ao máximo de 6 bilhetes por pessoa no caso de espectadores que pretendam adquirir a totalidade de lugares de uma frisa ou camarote de 1.ª classe ou camarote de 2.ª classe, com esse número de lugares (6 lugares), conforme constar na planta de lugares publicitada na Bilheteira do Teatro Diogo Bernardes e no website municipal, também apenas no caso de existirem filas para a procura dos mesmos (http://www.cm-pontedelima.pt/thumbs/uploads/writer_file/image/2230/MapaTDB_Final_1_1024_2500.jpg).

Relativamente aos pedidos realizados por correio electrónico, apenas serão atendidos os recebidos a partir da hora e data de disponibilização na bilheteira física, divulgada no mural oficial do facebook, nas mesmas condições acima indicadas e após serem satisfeitas as aquisições presenciais.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt.

Maiores de 6 anos.