Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

Encontro – Kale Companhia de Dança

Cultura
Encontro banner evento f 1 1200 800
16 Out
Adicionar a calendário 2020-10-16 22:00:00 2020-10-16 22:00:00 Europe/Lisbon Encontro – Kale Companhia de Dança + Dança Contemporânea Teatro Diogo Bernardes

+ Dança Contemporânea

A 16 de outubro, às 22h00, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, estreia nacional do espectáculo de dança contemporânea Encontro, pela KALE Companhia de Dança, cuja estreia ocorreu no Theatre Colysée em Biarritz (França), no âmbito do projecto de cooperação coreográfica transfronteiriço “Regards Croisés | Begirada Gurutzatuak | Miradas Cruzadas”, em formato triplo com criações de Christine Hassid (França), Osa+Mujica (Espanha) e Hélder Seabra (Portugal).

ENCONTRO é um “espaço” onde três coreógrafos compartilham as suas ideias sobre a sociedade e a cultura de hoje, que parece tender para o uníssono. Mas e se não for assim tão profundo? Quais são as diferentes perspectivas e possibilidades? Como alguém passa a ser único dentro de uma sociedade massiva? Como pode um bailarino desenvolver e ser fiel à sua identidade? Como podemos todos nós?

PRODUTO
Vivemos numa sociedade de indivíduos em série; mesmas roupas, mesmo penteado, mesmo comportamento. Queremos destacar-nos e ser especiais, mas aqueles que são diferentes assustam-nos. Queremos ser únicos, sendo idênticos.

Coreografia
Osa + Mujika
Interpretação
Ana Margarida Tasso, Joana Couto, Leonor Barbosa, Marlett Araújo

IN UTERO
A vida pode parecer um jogo involuntário. Desde o momento em que nascemos, herdamos a possibilidade da oportunidade e da restrição em instâncias ilimitadas.
Embora exista um sentimento de sofrimento e falta de objectivo, há também um sentimento mais profundo de cura progressiva, redenção, perdão e apoio mútuo. “Diz-se que nenhuma árvore pode crescer para o céu sem que suas raízes cheguem ao inferno".

Conceito, Direcção e Coreografia
Hélder Seabra
Interpretação
Joana Couto, José Meireles, Emily Mcdaniel, Márton Glaser, Charlie Brittain

DÉFILÉ DES POSTURES
O que ajuda a definir-nos profissionalmente, onde e como nos encaixamos? Como somos construídos como profissionais? E como ajudar os pré-profissionais em treino a construir? ... O que as noções de postura, posição e lugar podem dar-nos? E o gesto? E o desfile (défilé)? O desfile é sinónimo de passagem. A passagem é para mim passando de um estado para outro na dança e na vida. Dança é vida, vida é dança ...

Coreografia
Christine Hassid
Interpretação
Joana Couto, José Meireles, Leonor Barbosa, Márton Glaser, Charlie Brittain, Margarida Tasso, Marlett Araújo.

Ficha Artística e Técnica

ENCONTRO
Kale Companhia De Dança

Direcção Artística
Joana Castro

Gestão de Projecto
Daniela Tomaz

Designer de Luz
Joaquim Madaíl

Directora de Ensaios
Sara Moreira

Parceiros
Malandain Ballet Biarritz
Fundicion Bilbao
Sead
Ginasiano Escola De Dança

Classificação etária:
Maiores de 6 anos

Biografias

A KALE Companhia de Dança foi criada em 2001 em prol da criação e dinamização cultural da Dança, como espaço de experimentação para coreógrafos e intérpretes em início da sua carreira profissional. Em 2016, sob Direcção Artística de Joana Castro, a KALE Companhia de Dança iniciou um novo ciclo de criação de peças originais e contemporâneas encomendadas a coreógrafos convidados, integrando bailarinos de várias nacionalidades e formações, escolhidos por audição e contratados por programa, contribuindo assim para a evolução cultural Portuguesa.

Durante o seu percurso trabalhou com coreógrafos como Gilles Baron, Olatz de Andrés, Paula Moreno, Eldad Ben-Sasson, Isabel Ariel, Elisabeth Lambeck, Marcelo Ferreira, Giselle Rodrigues, Paula Águas, Joclécio Azevedo, Osa+Mujica, Christine Hassid e Hélder Seabra.

A KALE é uma estrutura financiada pelo Apoio Sustentado às Artes do Espectáculo para 2020/2021, programa gerido pela Direcção Geral das Artes / Ministério da Cultura. Do seu projecto de internacionalização, a KALE integra desde 2018 a rede Danse qui Danse, juntamente com os parceiros Korzo / Países Baixos, Malandain Ballet Biarritz / França, Ginasiano Escola de Dança / Portugal, Dansk Danse Teater / Dinamarca e Scenario Pubblico / Compagnia Zappalà Danza / Itália.

OSA+MUJICA
É o resultado do encontro entre Jaiotz Osa and Xabier Mujika. É a soma de dois mundos criativos: o mundo da dança e o mundo da cenografia e dos figurinos. Entre os dois criam uma equipa que tem como objectivo narrar historias visuais. Têm como propósito transportar para o palco todas aquelas imagens à solta nas suas cabeças, dando-lhes forma e significado, formatando-as através do movimento e do audiovisual. A união Osa+Mujika é resultado da necessidade, dos artistas satisfazerem as suas os seus desejos através da dança e das artes visuais. Inesperadamente, a sua primeira peça de dança, com duração de 13 minutos (desenhada para espaços não convencionais), foi seleccionada pela rede AcieloAbierto 2017. Essa foi a origem de Suddenly III (50 minutos), seleccionada para a Danza Escena 2019.

HÉLDER SEABRA
Nasceu em 1982, em Vila Nova de Gaia (Portugal). Começou a dançar em 2000 no Ginasiano Escola de Dança e na P.A.R.T.S. Foi bailarino da Ultima Vez/Wim Vandekeybus, sendo depois seu assistente. Entre 2000 e 2003 desenvolveu projectos com Pedro Carvalho, Ronit Ziv/Companhia Instável e Javier de Frutos/Companhia Instável. Em 2004 fez parte de Última Vez / Wim Vandekeybus e manteve-se como membro da companhia até 2008. Dançou nas produções Puur, Spiegel, Menske e no filme Here After. Em 2009 criou Imago (para a Cia. Instável) e assistiu Sidi Larbi Cherkaoui em Dunas. Em 2010 cocriou e interpretou Rendez-Vous com Victor Hugo Pontes. De 2010 a 2016 foi membro da companhia Eastman|Sidi Larbi Cherkaoui como intérprete, assistente e professor nos projectos educativos da companhia. Desde então desenvolve o seu próprio trabalho coreográfico e lecciona regularmente a nível internacional.

CHRISTINE HASSID
Inicia a sua formação em clássico na Academia de Dança de Bordeaux com Claude Paoli, tendo também frequentado oncurso do CNR Bordeaux e completado a sua formação no "Young Ballet of Aquitaine". Ingressa na unidade de integração profissional Coline (direcção artística de Sandrine Chaoulli), onde estuda as técnicas Limon, Cunningham, Graham e é apresentada ao trabalho e ensinamentos de Preljocaj, Galotta, Maguy Marin, Ramon Oller, Peter Goss, Serge Ricci. Junta-se à "Companhia de Dança Batsheva Junior", dirigida por Ohad Naharin em Tel Aviv. Regressa a França e trabalha para várias companhias de dança contemporânea (sendo estagiária da CCN, Claude Brumachon) e volta para a Compagnie Rédha. É solista e assistente de Rédha em todos os projectos da companhia ao longo dos anos. Como resultado, trabalha para Rédha na Alvin Ailey Dance Company (Nova York), Jeune Ballet de France (Paris), Pretoria Opera House (África do Sul), Het National Ballet Amsterdam (direcção Wayne Eagling).
Christine inicia o seu próprio trabalho coreográfico e de encenação em 2010 e em 2012 cria a companhia Christine Hassid Project, tendo ao longo destes anos desenvolvido, em França e no estrangeiro, projectos como: Beldurra, trio masculin (2014/2015)); Momentum entre au répertoire de la compagnie Dantza (2014); Un solo issu du projet http://xn--orphe-esa.com/ (2016); La relecture #2 du Spectre de la Rose (2017); Spectacle ВИДЕНИЕ РОЗЫ ET CETERA, compagnie Танц Театр (2017), entre outros.

Horário:

22h00

Local:
Teatro Diogo Bernardes
Preço:

Brevemente informações sobre bilhetes

Informação adicional:

MUITO IMPORTANTE:
- As portas abrirão, pelo menos, uma hora antes do início dos espectáculos e pede-se aos espectadores que compareçam mais cedo, com, pelo menos, meia-hora de antecedência para se efectuarem todos os procedimentos de segurança.
- Os espectáculos terão início à hora marcada.
- Não será permitida a entrada após o início dos espectáculos.
- Os espectadores devem cumprir rigorosamente todas as instruções dos assistentes de sala, devidamente identificados e em nenhum caso poderão trocar de lugares ou deslocar-se pelo recinto sem motivo justificado.
- No final de cada espectáculo, os espectadores deverão, obrigatoriamente, permanecer sentados nos seus lugares até serem instruídos pelos assistentes de sala para abandonar o recinto, por local diferente da entrada, de forma disciplinada e respeitando o distanciamento físico.

POR FAVOR, NÃO ESQUEÇA:
- É obrigatório o distanciamento físico de 2 metros no acesso ao recinto e às bilheteiras (a lotação da bilheteira do Teatro Diogo Bernardes é de 1 pessoa).
- É obrigatória a medição de temperatura de todos os presentes, sem registo escrito, à entrada do recinto.
- É obrigatória a higienização das mãos à entrada no recinto.
- É obrigatório o uso de máscara por parte do público durante todo o tempo dos espectáculos.
- A abertura do teatro será antecipada para assegurar o acesso atempado ao mesmo, devendo os espectadores dirigir-se de imediato aos lugares indicados pelos assistentes de sala, cumprindo rigorosamente as instruções dos mesmos.
- A permanência nos locais de atendimento deve ser limitada ao tempo estritamente necessário à realização do atendimento.
- O bar do Teatro Diogo Bernardes encontra-se encerrado.
- Nas instalações sanitárias, feminina e masculina, apenas serão permitidas duas pessoas em simultâneo, situação que será sempre controlada por um assistente de sala à entrada das mesmas.
- Não será permitida a permanência de espectadores no interior do Teatro Diogo Bernardes após o final dos espectáculos.

Agradecemos a colaboração de todos para continuarmos a oferecer Serviço Público de Cultura.