Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

Eugénio de Andrade evocado no projeto 'Memórias Literárias' em Ponte de Lima

Cultura
Memlit eugenioandrade cartaz web 1 1024 2500
02 Janeiro 2023

No mês em que se comemora o centenário do nascimento de Eugénio de Andrade o Município de Ponte de Lima, através da Biblioteca Municipal, vai evocar o eterno poeta português.

Eugénio de Andrade é um dos escritores mais conhecidos da literatura portuguesa e considerado um dos poetas mais traduzido em línguas estrangeiras. Desde a poesia à prosa o seu contributo é imensurável e reconhecido.

Alguns dos temas que atravessam a poesia de Eugénio de Andrade estão também na sua prosa, nomeadamente a memória do mundo da infância e a presença modeladora da pintura e da música.

Relembra-se que este projeto denominado de "Memórias Literárias" visa dar a conhecer uma pluralidade de escritores do mundo e as suas respetivas obras.

Associe-se a este tributo, visite a Biblioteca Municipal e venha conhecer ou relembrar Eugénio de Andrade no centenário do seu nascimento.

Sobre o poeta:

Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, nasceu a 19 de janeiro de 1923, no Fundão, e morreu no Porto em 2005, aos 82 anos.

A sua extensa produção literária granjeou-lhe vários prémios e distinções, entre os quais o Prémio Camões, em 2001, mas também o Prémio da Associação Internacional de Críticos Literários (1986), o Prémio D. Dinis da Fundação Casa de Mateus (1988) e o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores (1989).

Além de vasta obra poética, Eugénio de Andrade publicou alguns livros em prosa, designadamente "Os afluentes do silêncio", "História de égua branca", com ilustrações de Manuela Bacelar, "Rosto precário" e "À sombra da memória". Fez também traduções de Federico García Lorca, de Iannis Ritsos, das "Cartas Portuguesas (atribuídas a Mariana Alcoforado)" e de "Poemas e fragmentos de Safo".

O poeta encontra-se sepultado no Cemitério do Prado do Repouso, no Porto, tendo a sua campa sido desenhada pelo arquiteto e seu amigo Álvaro Siza, incluindo a inscrição dos versos do seu livro "As Mãos e os Frutos".

 
- <