Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

Parque Temático do Arnado

O Parque insere-se no projeto global de valorização das margens do Rio Lima. Nasceu da ideia de criar um jardim temático, que permita fazer uma viagem pela história de arte dos jardins. Ao mesmo tempo que se faz a reutilização das estruturas pré-existentes da exploração agrícola, integram-se nos antigos campos jardins eruditos característicos de diferentes épocas, e fazem-se plantações com um sentido pedagógico, permitindo a constituição de um verdadeiro horto botânico, onde se integra uma grande estufa.

A cultura rural está presente através das ramadas com vinha, os sistemas de rega a partir dos tanques e regueiras em granito, bem como a eira e o espigueiro. O período romano foi o eleito para a caracterização da história de arte dos jardins, dadas as influências culturais ainda bem presentes na Vila de Ponte de Lima.

Localização/acesso: em Arcozelo, junto à Capela de Sto. António e ponte medieval.

 

Algumas das espécies existentes neste Parque:

 

Árvores:
  • Aesculus carnea, Bétula pendula, Cupressus sempervirens, Lagerstroemia indica, Magnólia grandiflora, Magnólia Soulangeana, Paulonia tomentosa, Prunus pissardii atropurpurea, Quercus coccinea, Quercus robur fastigiata, Quercus coccinea, entre outras.
Arbustos:
  • Acer palmatum atropurpureum, Azálea japónica, Azálea mollis, Budleia davidii, Berberis thumbergii atropurpurea, Cotoneaster damaerii, Camélia japónica, cotoneaster salicifolia, Hebe andersonii, Leptospermum scoparium, Lavandula spica, Nerium oleander, Prunus laurocerasus,Rosmarinus officinalis, Ruscus acuelatus,Spirae bumalda, Buxus sempervirens, Myrtus communis, Taxus baccata fastigiata, Weigela florida, Rododendron, entre outras.
Herbáceas:
  • Achillea millefolium, Dimorphoteca eklonis, Viola odorata, Verbena, entre outras.

 

Jardins

O Parque insere-se no projeto global de valorização das margens do rio Lima e a sua conceção procura ter uma função cultural e recreativa. A componente cultural chama a atenção do visitante para a evolução histórica da humanização da paisagem.

Nasce assim a ideia de criar um jardim temático, que permita fazer uma viagem pela história de arte dos jardins, cujas raízes estão profundamente ligadas à cultura rural. Ao mesmo tempo que se faz a reutilização das estruturas pré-existentes da exploração agrícola, integram-se nos antigos campos agrícolas jardins eruditos característicos de diferentes épocas, e fazem-se plantações com um sentido pedagógico, permitindo a constituição de um verdadeiro horto botânico, onde se integra uma grande estufa.

A cultura rural permanece presente através dos diferentes elementos, como sejam as ramadas com vinha, os sistemas de rega a partir da nora, dos tanques e regueiras em granito, bem como a grande eira e o espigueiro.

Para a concretização da história de arte dos jardins elegemos o período Romano, dadas as influências culturais ainda bem presentes na Vila de Ponte de Lima; o jardim da Renascença e o jardim Barroco, o visitante poderá ainda "perder-se" num labirinto, que surge na cultura Ocidental a partir da mitologia grega e permanece sempre como um elemento de composição dos jardins através dos séculos.