Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

O Rosquedo

Publicações
Rosquedo 1 1024 2500
25 Janeiro 2008

GUIMARÃES, Delfim - O rosquedo. Apresentação e identificação das personagens Adelino Tito de Morais. [Ponte de Lima]: [s.n.], 2008. 323 p.

ESGOTADO

  • Preço: €5,00 (inclui o valor da taxa de IVA legal em vigor)
  • Como encomendar: contacte-nos através do e-mail: arquivo@cm-pontedelima.pt 

Antelóquio:

A Bibliografia Limiana é numerosa, diversificada e multisecular ...

Perpassam-nos muitas obras raras ou pouco vulgares de autores naturais ou residentes em Ponte de Lima, a quem a pecularidade das suas gentes e do seu Património inspirou dezenas, centenas de páginas.

Delfim Guimarães com O Rosquedo é um desses exemplos, a par das raizes paternas, e a nomeação em 1903 de Administrador do Concelho de Ponte de Lima. Como funcionário do governo e no âmbito de diligências ou representações oficiais teve conhecimento de certos casos familiares onde descendências pela mão esquerda, quejandas ligações amorosas, a vivência das soirées, das Festas e Romarias e os perfis das individualidades, seriam a inspiração para escrever uma das mais apreciadas obras de sabor regional. Paralelamente, exercia o lugar de Diretor do jornal O Lima, semanário editado aos domingos.
Publicado pela primeira vez em 1904 - O Rosquedo - conhece segunda edição em 1912. Com base nesta última versão, encetamos há meses, uma reedição a partir do texto da época, com a identificação das personagens. Não era célere este trabalho, e menos fácil descobrir muitos descendentes para melhor elaborar uma nota biográfica.

Mas, com pesquisas em jornais e revistas, nos arquivos, designadamente, o Municipal, o da Santa Casa da Misericórdia e alguns particulares, conseguimos "decifrar" essas dezenas de conterrâneos de há um século atrás

Não podemos deixar de agradecer todas as informações ou apontamentos facultados por amigos, desde o arqueólogo Padre Manuel Dias, o médico e bibliófilo Nuno Perestrelo Pimenta, a cunhada do falecido Limianista, advogado que não exercia e­ parente Filinto de Moraes, o saudoso genealogista Coronel Alberto de Sousa Machado, e o comerciante José Luís da Silva, da Rua da Matriz.

Assim, partimos à reedição de O Rosquedo, e o ressuscitar do autor desse documento etnográfico, sociológico e histórico para Ponte de Lima

Delfim Guimarães recorreu a pseudónimos, a hipocorísticos e a alcunhas, para nomear os "atores" em palco na sua apreciada narração de literatura romanesca da Belle Époque.

O título para o livro não foi escolhido ao acaso;
o romance baseia-se em vários casos de relações amorosas, umas vezes felizes, outras vezes infelizes ou trágicas justificatórias para essa designação.

É pois à volta de amores impossíveis que gira toda a trama e todo o drama de O Rosquedo... no dizer do colega Cláudio Lima.

Vamos então folhear o Rosquedo, mas antes saber quem são as personagens!

Dia de Ponte de Lima 2008