Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

municipio

Filosofia da Existência: esboço Sintético de uma Filosofia Nova

Publicações
Fiosofia da existencia 1 1024 2500
03 Abril 2008

TARROZO, Domingos - Filosofia da Existência: esboço sintético de uma filosofoa nova. [s.l.]: Estratégias criativas, 2008. 121 p. ISBN: 978-972-8257-84-2.

  • Preço: €11,00 (inclui o valor da taxa de IVA legal em vigor)
  • Como encomendar: contacte-nos através do e-mail: arquivo@cm-pontedelima.pt 

Apresentação

Com a publicação, em 2005, do livro biográfico Domingos Tarrozo - Vida, Obra e Pensamento, pretendi apresentar o trabalho de pesquisa que efetuei sobre o pensamento filosófico de uma personalidade que, tendo nascido em 1860, na vila de Ponte de Lima, se distinguiu de forma singular através de uma carreira de autodidata.

Na impossibilidade óbvia de adquirir os seus livros, recorri a uma busca por diversas bibliotecas do país, conseguindo assim obter a totalidade da sua obra, de forma policopiada, através da qual o autor procurou abranger as áreas da filosofia, da poesia, da novelística, da política e do jornalismo, atividade esta iniciada muito precocemente.

É, porém, o livro Filosofia da Existência - Esboço Sintético de uma Filosofia Nova aquele que merece um destaque muito especial, a justificar esta sua reedição. Nesta obra Tarrozo exprime de forma notável a sua linha de pensamento antipositivista, opondo-se ao positivismo dos Três Estados de Augusto Comte.

Com a idade de vinte e um anos, considera-se com orgulho o mais jovem filósofo que até então o mundo conhecera, afirmando: "Até aqui o mais precoce de todos os filósofos foi Augusto Comte, que ainda assim ficou vencido por quatro anos".

Tal como descreve no capítulo Primeiras Palavras, Domingos Tarrozo começou por atribuir à sua obra o título da Filosofia Definitiva, acabando por modificá-lo para evitar confusões com os positivistas. Filosofia da Existência seria mais adequado à metafísica, conclusão colhida do texto de Liure, La Science au point de vue Philosophique: « A filosofia definitiva ou positiva é aquela em que as conceções objetivas servem de bases ou princípios".

Ao descrever o seu próprio percurso evolucionista, assente em três fundamentos (preátomo, consciência humana, Deus), trilogia que abrange também a metafísica do ser, Tarrozo concebe que Filosofia e Experiência se combinam mutuamente e apresenta uma nova classificação das ciências.

Distanciando-se de Schopenhauer, expõe o seu pensamento assente num dualismo natural e admite a dupla existência do eu e da natureza. Mostra-se, assim, mais perto das conceções de Spencer e do Conde de Ardigo, partindo do conceito por si elaborado de filosofia como ciência das ciências.

Tendo desistido da publicação do anunciado livro complementar à Filosofia da Existência, publicou em 1883 A Poesia Filosófica - Poemas Modernos. Com este livro, completar-se-à a reedição da Obra Filosófica de Domingos Tarrozo.

Desempenhou também Junções de Escrivão de Direito em Ponte de Lima e Lisboa, Deputado da Nação, Secretário do Ministro da Fazenda, Presidente do Instituto Histórico do Minho e foi membro da Sociedade de Geografia onde se distinguiu com intervenções muito apreciadas.

Em 1933, morreu em Viana do Castelo, já vitimado pela cegueira, sendo sepultado por sua expressa vontade em Ponte de Lima, em cuja campa consta: Domingos Tarrozo - Publicista.

José Couto Viana de Carvalho