Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo

visitar

O Senhor Ibrahim e as Flores do Alcorão - Seiva Trupe

Cultura
Senhor ibrahim 4x3  1 1024 2500
09 Fev
Adicionar a calendário 2018-02-09 11:14:00 2018-02-09 11:14:00 Europe/Lisbon O Senhor Ibrahim e as Flores do Alcorão - Seiva Trupe

+ Teatro

Teatro Diogo Bernardes

+ Teatro

A 9 de Fevereiro, às 21h30, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, o espectáculo de teatro O Senhor Ibrahim e as Flores do Alcorão, de Eric-Emmanuel Schmitt, pela Companhia Seiva Trupe, com versão cénica e direcção de Júlio Cardoso e interpretação de Fernando Soares e Miguel Batista.

Numa linguagem simples mas profundamente filosófica e humanista, desaguando numa emocionante história condimentada com humor, Eric-Emmanuel Schmitt, filósofo e dramaturgo, um dos mais prolíficos e premiados escritores do nosso tempo, narra um caso de um jovem judeu e de um velho merceeiro árabe. O jovem vive só e com um pai frio e distante.
O Senhor Ibrahim, o merceeiro árabe, é acolhedor e simpático. Juntos vivem uma série de aventuras e edificam uma amizade que ultrapassa todas as fronteiras. Uma obra de sabedorias, de tolerância, bondade e fraternidade, numa vulcanicidade actualíssima.

FICHA ARTÍSTICA | TÉCNICA

Autor | Eric-Emmanuel Schmitt
Cenografia | José Carlos Barros
Desenho de Luz | Júlio Filipe
Assistente de Indumentária | Letícia Santos
Assistente de Encenação e Direcção de Cena | Rita Reis
Versão Cénica e Direcção | Júlio Cardoso
Interpretação | Fernando Soares e Miguel Batista
Edição de Som | Filipe Gonçalves
Operação de Luz e Som | Filipe Cardu
Execução do Cenário | Hernâni Costa Miranda 
Montagens Cénicas | Filipe Cardu, Luís Ternús e Matu
Painel Publicitário | Nuno Sousa Pereira
Fotografia | António Alves
Maiores de 12 anos

“Aquilo que dás é teu para sempre;
O que guardas, perde-se para sempre.”

“Existem alguns textos que levamos connosco tão naturalmente que nem percebemos o quanto eles são importantes. Escrevê-los é como respirar (…) Escrito do coração e pelo coração. (…) Quem são Momo e o Senhor Ibrahim?
Duas pessoas que passam despercebidas pelo mundo. Momo é filho único, sem mãe e um pai que mal merece ser reconhecido como tal, demasiado mergulhado numa depressão para conseguir cuidar do seu próprio filho, ensinando-o o gosto pela vida e pelos seus princípios. Em relação ao Senhor Ibrahim, a única coisa que lhe é solicitada é a possibilidade de conferir a ambos uma boa oportunidade. O homem e o menino mudam as suas vidas enquanto se conhecem. O encontro deles é um enriquecimento maravilhoso.
Houve muita verborreia sobre o facto da criança ser da Judeia e o merceeiro ser muçulmano. Com razão. Foi propositado. Eu propus-me a provar algo e a ser provocador. A minha intenção era demonstrar que em muitos lugares do mundo pessoas de diferentes religiões, de diferentes origens conseguem viver em harmonia. (…) Senti que era importante contar uma história de fraternidade com uma mensagem de felicidade. (…) As histórias têm uma responsabilidade a desempenhar na vida da mente, até mesmo pequenas histórias. O Senhor Ibrahim ensina Momo coisas essenciais: sorrir, conversar, a olhar as mulheres com um olhar que vem do coração e não da luxúria. Ele revela-lhe um universo mais contemplativo e até o ensina a aceitar a morte - tudo o que o Senhor Ibrahim aprendeu com o seu Alcorão. São coisas que se poderia aprender noutro lugar, mas o Senhor Ibrahim aprendeu-as no seu Alcorão. "Eu sei o que está no meu Alcorão", diz repetidamente. Quando ao Momo é entregue a cópia do Senhor Ibrahim, ele encontra dentro flores secas. O seu Alcorão é o texto, mas também é o que o Senhor Ibrahim colocou nele: a vida, o modo de leitura, a interpretação. A espiritualidade não consiste na repetição das orações da moda, mas em entender o significado e compreender o conceito e as suas implicações. A verdadeira espiritualidade só vale a pena quando a obediência e a liberdade estão equilibradas. Aqui está a explicação que constantemente me pedem, a explicação do misterioso título, O Senhor Ibrahim e as Flores do Alcorão.” 
Bruxelas, 16 de Novembro de 2004 
Eric-Emmanuel Schmitt

Horário:

21h30

Local:
Teatro Diogo Bernardes
Preço:
3,00 €
Informação adicional:

Os bilhetes (3,00€) serão disponibilizados a partir das 9h00 da próxima sexta-feira, 5 de Janeiro de 2018.

O número máximo de entradas a adquirir será de 4 bilhetes por pessoa, apenas no caso de existirem filas para a procura dos mesmos, podendo ir até ao máximo de 6 bilhetes por pessoa no caso de espectadores que pretendam adquirir a totalidade de lugares de uma frisa ou camarote de 1.ª classe ou camarote de 2.ª classe, com esse número de lugares (6 lugares), conforme constar na planta de lugares publicitada na Bilheteira do Teatro Diogo Bernardes e no website municipal, também apenas no caso de existirem filas para a procura dos mesmos (http://www.cm-pontedelima.pt/thumbs/uploads/writer_file/image/2230/MapaTDB_Final_1_1024_2500.jpg).

Relativamente aos pedidos realizados por correio electrónico, apenas serão atendidos os recebidos a partir da hora e data de disponibilização na bilheteira física, divulgada no mural oficial do facebook, nas mesmas condições acima indicadas e após serem satisfeitas as aquisições presenciais.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 258 900 414 ou pelo email teatrodb@cm-pontedelima.pt.